Cuiabá (MT), terça, 21 de outubro de 2014
Turma do Epa
Quinta, 24 de março de 2011, 18h13
Chapeu BOI SONSO

Paralisação do frigorífico Mata Boi pode não ser calote. Ainda!

Pecuaristas receiam que a justificativa de falta de caixa seja pretexto para pedido de recuperação judicial e posterior calote
Itamar Perenha  / Cuiabá-MT

 

Os pecuaristas reagiram com apreensão à notícia do fechamento temporário do Frigorífico “Mata Boi” em Rondonópolis, temendo mais um golpe no setor. Escaldados pelos prejuízos do 4 Marcos, Frialto, Estrela e Arantes Alimentos, entre outros, temem mais um calote na praça.
 
Pecuaristas da região sul do Estado, responsáveis pela maior parte do fornecimento das cerca de 600 cabeças/dia levadas a abate na planta de Rondonópolis, receiam que a justificativa de “descompasso no fluxo de caixa”, concedida à guisa de explicação para a interrupção dos pagamentos, seja, ao fim, mais um doloroso processo de “recuperação judicial”, como de praxe, lento, arrastado e com prejuízos aos produtores.
 
Luciano Vacari, superintendente da ACRIMAT (Associação dos Criadores de Mato Grosso) concedeu entrevista coletiva à imprensa constatando a interrupção da escala de abate sem, contudo, conseguir contato com o responsável pelo Grupo Industrial “Mata Boi”, com o prenome de Murilo, para afastar os temores dos pecuaristas.
 
Privilégios ao JBS e Marfrig
 
Na visão da ACRIMAT há, além dos problemas de gestão próprios de cada planta industrial que provocaram a sucessão de calotes, uma questão de fundo: os privilégios concedidos aos grupos JBS e Marfrig que, a pretexto de se internacionalizarem, receberam polpudos empréstimos subsidiados do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Foi assim que as duas empresas, somadas ao Frigorífico Bertin, conseguiram adquirir plantas industriais importantes na Argentina, Estados Unidos, Itália, entre outros países, privando os pequenos e médios frigoríficos nacionais de terem acesso a uma fonte de recursos a juros atraentes. O problema, segundo Vacari, é que essa atração aconteceu em detrimento do expressivo mercado produtor nacional e, em particular, Mato Grosso, onde o JBS, a despeito de sustentar-se com empréstimos subsidiados por todos nós, fechou a planta de Cáceres, deixando de gerar negócios e empregos aqui para criá-los em outras partes do mundo.
 
“Trata-se de uma política industrial claramente equivocada e danosa à indústria brasileira processadora de carne onde há, progressivamente, menos competição. Isso é uma evidente contradição, uma concepção política pública incompatível com a posição ocupada pelo Brasil de grande produtor de carne bovina mundial, e, em especial Mato Grosso, detentor do maior rebanho nacional”, completou.
 
Reestruturação do setor
 
Luciano Vacari procura vocalizar o pensamento dos pecuaristas que descartam a possibilidade de virem, no futuro, por associações ou movimentos cooperativos, gerir unidades frigoríficas. Para ele algumas experiências foram mal sucedidas o que demonstra que a vocação da classe se expressa, com maior competência, da porteira para dentro, onde conseguem produzir, de forma competitiva, em custos e qualidade. “É esperar os desdobramentos dessa paralisação do abate em Rondonópolis, buscar mais informações junto aos empresários responsáveis pelas plantas industriais e torcer para que o “Mata Boi” retome os pagamentos e se mantenha em atividade. Por ora, apenas esperança”, finalizou.
 

 matérias relacionadas
Segunda, 24 de outubro de 2011
11:04
Chapeu é o boi
Pecuaristas de MT vão gastar R$ 44,3 milhões com vacinas
Preço da dose da vacina contra aftosa aumentou 25,5% e a arroba 4,2%
Segunda, 03 de outubro de 2011
12:57
Chapeu Mataboi
Novo 'plano' de pagamentos é estudado
O frigorifico Mataboi tem uma dívida de mais R$ 100 milhões com os pecuaristas
Quarta, 23 de março de 2011
12:50
Chapeu BOI SONSO
Frigorífico fecha em Roo e calote do setor chega a R$ 300 mi
O processo de recuperação judicial nesses casos é lento e até agora não se tem exemplos de bom desfecho

 leia também
Sexta, 17 de outubro de 2014
07:44
Rodovias brasileiras tiveram "discreta melhora" em 2014, diz CNT
Em termos ambientais, se todas as rodovias fossem boas ou ótimas, o país teria economizado 737 milhões de litros de óleo diesel
Quarta, 15 de outubro de 2014
10:50
Chapeu ELEIÇÕES 2014
Um debate tenso e áspero
Dilma elencou escândalos conhecidos e não apurados no Governo FHC, a saber: SIVAM (contrato biliardário para um sistema de vigilância da Raytheon para a Amazônia), a "Pasta Rosa", um esquema de financiamento a políticos por Caixa 2
Terça, 14 de outubro de 2014
07:41
Chapeu REDE
Sob o signo da traição
Dizem que não se faz política com o fígado e não é por outra razão que as decisões tomadas ao sabor da bile se impregnam de amargor. Decisões destilando a fel não podem ser boas e, de fato, nunca o são. Esta, de Marina, foi a pior e tisnou o batismo
07:36
Chapeu INVESTIMENTO
Em cinco anos, BR-163 receberá o equivalente a uma Copa do Mundo
Rota do Oeste vai investir R$ 2,8 bi em cinco anos na rodovia que corta todo o Estado; Até o fim da concessão, serão R$ 5,5 bi.
Segunda, 13 de outubro de 2014
15:08
Chapeu saúde
Anvisa muda regra para compra de medicamento similar
Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (13) no Diário Oficial da União estabelece os requisitos necessários para que um medicamento similar possa substituir o de referência ou de marca.
Domingo, 12 de outubro de 2014
20:51
Chapeu dia nacional da leitura
Participação da família é decisiva para formação do jovem leitor
Transformar a leitura em um momento prazeroso para as crianças pode ser a chave para a formação de jovens e adultos leitores.
Sábado, 11 de outubro de 2014
15:42
Chapeu ebola
Suspeita de ebola só será descartada após segundo exame, diz ministro Chioro
Depois do resultado negativo do primeiro teste feito no paciente com suspeita de ebola no Brasil, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse hoje (11) que o diagnóstico só será confirmado após um segundo exame
Sexta, 10 de outubro de 2014
07:46
Chapeu  ELEIÇÕES 2014
Pivetta promete extinguir 8 secretarias
Para quem conhece o prefeito afastado de Lucas do Rio Verde, declarações refletem o calor das urnas e a necessidade de "surfar na onda". Mostrou serviço na campanha e continua no embalo.
Quinta, 09 de outubro de 2014
07:39
Chapeu  ELEIÇÕES 2014
Taques e a "onda lacerdista"
MT não precisa de um "vingador; precisa, sim, de governador ou eleição não foi para isso?
Quarta, 08 de outubro de 2014
12:27
Chapeu ELEIÇÕES 2014
Candidatos podem conferir desempenho nas urnas
TRE disponibiliza o Relatório Geral de Apuração e candidatos podem analisar acertos e erros das estratégias de campanha

+ ver todas as matérias
Eparre

 "Modelito tucano"


O anúncio das "medidas impopulares" é uma pequena amostra do que será o "modelito tucano" para a administração pública em geral: demissões e busca implacável por aumento na arrecadação. Não se trata apenas de uma concepção do novo governo a ser chefiado por Taques, mas, trata-se de um modelo ortodoxo bem ao jeito tucano de governar que será posto em prática.

 Taques e o tucanato


Taques, em verdade, não deve sequer conhecer o Estatuto do partido pelo qual se elegeu. Tanto é fato que foi dos primeiros a engrossar a "entourage" de Aécio Neves e levar-lhe apoio no primeiro encontro dos eleitos em Brasília. Ademais, como se sabe, num universo de 32 partidos políticos não há, salvo algumas exceções,o que possa distingui-los sob o ponto de vista ideológico.

 Personalismo


A legislação eleitoral e partidária brasileira é anacrônica e foi questionada nas ruas. A "Reforma Política", tantas vezes lembrada nos períodos eleitorais, não consegue avançar no Congresso por uma lógica simples: nenhum senador ou deputado eleito quer correr riscos na próxima eleição. Assim é melhor que tudo fique como está.

 Mesa Diretora da Assembleia


Curiosa a afirmação de que Taques não iria interferir na seara legislativa. Pode até não ter intenção, mas, a subserviência dos deputados estaduais matogrossenses é um dado da cultura política prevalecente. Assim, sem mais nem menos surgiu um movimento para eleger os "deputados da base" de cabo a rabo na nova mesa diretora.

 Rendição incondicional


Os "eleitos" demonstram, assim, rendição incondicional ao "governismo" sem que o próprio governador eleito possa se dar ao trabalho de expor qualquer preferência. Maioria absoluta garantida desde já.

 "Capachismo"


O eleitor nem sempre acerta ao escolher um candidato e nestas eleições, mais uma vez, o quociente eleitoral levou à Assembleia muitos que não foram sufragados nas urnas. Eleitos com votos de outros para o somatório que perfila as vagas a serem preenchidas, os deputados eleitos se "adonam" do mandato e só têm compromisso com os próprios interesses. Assim o exercício medíocre do "capachismo" sem que sequer tenha sido exigido vai tisnando essa legislatura com o que há de pior no exercício da política.

Eparre

Segunda, 20 de outubro de 2014
Laudemir
Putz meu. Esse berranteiro matador de onça não é mole não! Segura peão...

Segunda, 20 de outubro de 2014
Ferando Arruda
Sinto uma leva pitadinha de oposição no site. É uma questão de estilo, não é?

Segunda, 20 de outubro de 2014
Fabrício
Muito boa a coluna de hoje. Nunca vi uma descrição tão exata da mediocridade política deste Estado. É isso mesmo. Mas, infelizmente, quem os elegeu foi o povo e o povo tem o governo que merece.

Quinta, 16 de outubro de 2014
Mateus
Essa tropa do Taques pensa que todos são "bobó tchera tchera" como ele gosta de falar. Quem fala demais dá bom dia a cavalo como vocês gostam de dizer aqui no EPA.

DEIXE SUA OPINIÃO OU COMENTÁRIO
Nome:
Texto:
Email:
Coluna:
Vídeos
 Berranteiro matador de onça
Esse é violento. Matador profissional de onças? É, tudo bem.
HOME  |   TURMA DO EPA  |   PANORAMA  |   VÍDEOS  |   LEITURA  |   EPARRÊ  |   EPA DOS LEITORES
BROADCAST  |   QUEM SOMOS  |   DIREITO DE RESPOSTA  |   ANÚNCIOS  |   CANAL RSS  |   CONTATO
Copyright © 2011 - Turma do Epa. Todos os direitos reservados